BLOG

QUANTOS “NÃOS” VOCÊ É CAPAZ DE RECEBER?

“(...) Quando Deus tira algo de você, Ele não o está punindo,
mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor”
Chico Xavier

 

Conheço muitas pessoas que nem buscaram uma vida nova, com medo da rejeição. Tinham dificuldade de receber um “não”. Mas se você quer ser um empreendedor, precisa saber vender. E a principal diferença entre quem vende muito e quem vende pouco, é a capacidade controlar a rejeição. Os melhores vendedores são aqueles que são mais rejeitados. São aqueles que podem receber qualquer “não” e transformá-lo em incentivo para buscarem o próximo “sim”.

O empreendedor que supera um “não”, pode sair fortalecido de uma grande frustração para uma grande alegria.

Conheço a história de uma pessoa que sempre quis ser jogar futebol, e foi dispensado por várias vezes, em “peneiras” dos principais clubes de São Paulo e outras cidades do Brasil, como Nacional AC, Portuguesa de Desportos, Atlético Mineiro, Palmeiras, Corinthians e Foz do Iguaçu. No São Paulo Futebol Clube, por exemplo, ele recebeu “não” umas quatro vezes, no total de 12 doze “peneiras”. Ele jamais imaginaria em sua infância e adolescência, que conseguiria superar todo sofrimento e humilhação, e tornar-se o maior jogador recordista em participações com a camisa da seleção Brasileira de futebol em Copas do Mundo, e um jogador campeão em todos os clubes que passara com um currículo exemplar. Isso porque não desistiu dos seus sonhos. O nome dele? Cafú.

Isso mostra que quanto mais “não” você receber, mais perto do “sim” poderá estar. A história comprova que os grandes empreendedores ouviram a palavra “não” muitas vezes, mas foram perseverantes e conseguiram o “sim”.

No site Guia da carreira, encontramos três histórias de grandes personalidades que se tornaram o que foram pela capacidade de superar desafios.

“Albert Einstein - A história dele é bem comum. Um garoto que sempre estudou em escolas públicas, quando entrou na pré-adolescência, aos 10 anos, desenvolveu uma timidez imensa e por isso se envolvia em diversas confusões. Por muitas vezes seus pais foram chamados na escola, principalmente quando Einstein estava cursando a 5ª série. Nunca foi um aluno exemplar, sempre sofreu bullying e ia muito mal na escola, com notas ruins.  Quando Albert entrou no 8º ano, surpreendeu a todos, pois conseguiu notas muito melhores. Este caso se repetiu por 3 anos consecutivos. Quando mais velho, Einstein ingressou em um curso técnico, porém nunca terminou. Então um dia Albert Einstein resolveu brincar de Física. Começou a analisar os livros de Física que nunca tinha dado importância. Algumas biografias dizem que o cientista lia rapidamente os livros e dali já tirava suas maiores conclusões. Hoje em dia reconhecido como o maior e melhor Físico Matemático de todos os tempos, Einstein é considerado um gênio e um fenômeno.

Steve Jobs - Outra história de superação que foi bem comentada nos últimos anos foi do Steve Jobs, o ex-CEO da Apple, falecido há pouco tempo. Steve foi filho de mãe solteira e poucos dias depois de seu nascimento foi oferecido para adoção.  Após rejeições de algumas famílias ele foi enfim adotado pela família Jobs. Desde muito novo já sabia que era adotado. Quando completou 17 anos Steve entrou no Reed College, porém com 18 meses dentro da faculdade resolveu desistir, já que achava que era uma instituição muito cara e que não valeria a pena com os planos que tinha para a sua carreira. Ele sempre declarou que foi graças às aulas de caligrafia da faculdade (Jobs criou uma fonte) que ele ganhou reconhecimento de design e isso fez toda a diferença na história da Apple. Jobs conheceu Steve Wozniak e juntos fundaram uma empresa totalmente inovadora, a famosa Apple.

Pouco depois de fundar a empresa ele foi despedido pelo sócio, o que para ele foi muito bom, pois foi assim que ele conheceu sua esposa, casou-se e fundou mais duas empresas: a Pixar e a NeXt. A NeXt foi comprada pela Apple em 1996 e com a compra Steve acabou voltando para a diretoria da Apple, onde continuou até agosto de 2011. Steve Jobs se despediu da empresa quando viu que por conta de um câncer descoberto em 2004 não conseguia mais exercer o seu cargo. Uma das citações que Jobs deixou para seus apreciadores foi : “A morte é a melhor invenção da vida. Ela tira o que é velho do caminho e abre espaço para o novo”.

Outra Personalidade - Não são só os gênios da matemática ou da tecnologia que possuem histórias de superação. Entrando no âmbito dos esportes uma personalidade muito falada é o jogador de basquete americano Michael Jordan. Muito novo ele desenvolveu seu interesse pelos esportes, porém quando ainda era adolescente, com 1,88 de altura, foi rejeitado pela equipe de esportes da sua escola por considerarem que Michael era baixo para função. Apesar de ter sido dispensado, Jordan nunca desistiu do seu sonho de ser um jogador de basquete reconhecido. Em 1981, conseguiu entrar para equipe de um time da Universidade da Carolina do Norte, onde permaneceu até o ano de 84. Em sua primeira temporada pelo Chicago Bulls, foi eleito como o novato do ano. Na temporada seguinte, Michael quebrou o pé e perdeu 64 jogos, porém em 1987 foi eleito pela primeira vez o melhor jogador da temporada. A partir daí, Jordan começou a liderar o time e assim o Chicago Bulls ganhou três títulos consecutivos. Após vencer e ser campeão da Liga de Basquete Americano nos anos 91, 92, 93, 96, 97 e 98,  Jordan decide em 1999 anunciar a sua aposentadoria. Porém, só foi realmente se aposentar no ano de 2003. Hoje em dia Michael Jordan é o primeiro ex-jogador de basquete a ser dono de uma equipe: Charlotte Bobcats.

São histórias de superação como essas que ajudam muitos a repensarem antes de desistirem, caso haja algum fato negativo na carreira profissional. Por isso, quando tiver obstáculos para ultrapassar, lembre-se que muitos que fizeram ou que fazem sucesso tiveram que ultrapassar barreiras para terem o reconhecimento que têm hoje em dia.

Você precisa receber toda rejeição como uma oportunidade. Acredite: o seu sucesso está escondido atrás da rejeição. Não há sucesso sem a superação disso. Controle, portanto, a sua rejeição, e você alcançará muito daquilo que pensava não ser capaz de conseguir.

O empreendedor de venda direta é uma pessoa que não se intimida com um “não”, com um obstáculo, ou com uma iniciativa que não deu certo.

Precisamos compreender que por um mecanismo de defesa natural da nossa essência, preferimos viver experiências já conhecidas a experimentar novas situações que não sabemos, e que não temos controle.

Todas às vezes quando afirmamos: "Eu não consigo", na verdade, estamos dizendo assim: "Eu não quero"; porque sempre quando nós queremos, conseguimos. É uma questão de hábito.

Pense no bem e o bem acontecerá. Evite o pessimismo e não terá depressão.  Toda vez que você tiver um pensamento ruim, substitua por um pensamento bom. Cultive pensamentos bons, leia livros edificantes, assista a vídeos bons, e tenha foco sempre no positivo.

O grande criador da Turma da Mônica, Maurício de Sousa, havia sido aconselhado a deixar o trabalho de desenhista, e afirma que aquele “não” recebido o ajudou a publicar a primeira história do Bidú.
Maurício de Sousa conta que, aos 17 anos, foi procurar um emprego de desenhista em São Paulo. Ele foi apresentar os seus desenhos para um grande ilustrador, muito conhecido na época, e recebeu o seguinte conselho: “Garoto, faz outra coisa na vida. Desenho não dá futuro, e nem dinheiro. Desista e seja feliz”.  Maurício de Sousa conta então que a partir daquele comentário negativo, ficou muito triste.
Ele saiu pela redação do jornal, se sentindo derrotado, pois nunca havia recebido um “não” categórico, daquele jeito. Encontrou um outro jornalista, que ao se deparar com aquela imagem de um garoto chateado, o indagou sobre o que havia ocorrido. Maurício de Sousa contou-lhe o fato e recebeu dele algumas indicações e estratégias do que poderia fazer para superar aquela situação e ser bem sucedido no que queria. E o jornalista então sugeriu-lhe fazer uma apresentação do seu material, aconselhando-o a entrar no jornal, trabalhando em qualquer outra coisa, enquanto fosse aperfeiçoando os seus desenhos.
Com o tempo, mais conhecimento e relacionamento no jornal, ele poderia apresentar novamente o seu trabalho para os seus diretores. E foi assim o que aconteceu. Depois de cinco anos de trabalho, ele apresentou a historinha do Bidu, que foi aceita por eles.  Maurício de Sousa então pediu a demissão da sua função, naquele momento,  e se tornou enfim um desenhista do jornal.

 

 

 

Sobre o Autor:


Marcio Giacobelli

Comente

CONHEÇA  os 10 Erros mais comuns do Marketing de Rede. Receba gratuitamente no seu email este e-book fantástico. Fique tranquilo, seu email está completamente seguro conosco.