É muito comum ouvir pessoas reclamando da empresa na qual está trabalhando, as queixas são diversas: falta de reconhecimento, problemas interpessoais na equipe, falta de recursos, processos burocráticos, entre muitas outras. Mesmo que os problemas sejam reais, lamentar é a solução?

Se colocar no papel de vítima é confortável, pois não é preciso tomar nenhuma atitude para mudar. A vítima não se sente parte do problema, para ela o erro sempre é cometido pelo outro. O discurso repetitivo e cansativo de que a culpa é do colega de trabalho, do chefe, do sócio ou da empresa e eles precisam fazer alguma coisa para melhorar a situação, nunca sugere uma participação da vítima para encontrar a resolução dos problemas.

O que ela não consegue entender é que de nada adiantará ficar se lamentando e culpando o outro por todas as dificuldades. É preciso agir como protagonista, se perguntar “o que eu posso fazer para ajudar a resolver o problema?”, enfrentar os desafios com determinação e coragem, assumir os erros que competem a você e trabalhar para melhorar as ferramentas, processos e equipe em busca de melhores resultados.

Não é fácil sair da zona de conforto e deixar a comodidade que o papel de vítima oferece para assumir o posto de protagonista. Mas se você quiser ser mais feliz, se sentir realizado pessoalmente e profissionalmente, é preciso coragem para mudar. Mesmo se a empresa não ajudar, mostre seu potencial, busque por motivação, estipule metas pessoais, incentive seus colegas de trabalho a se engajarem, dê o máximo de si, pois uma hora a recompensa virá.

Quando você escolhe ser protagonista, começa a refletir sobre as suas responsabilidades, acertos e erros e, principalmente, a agir, fazer a diferença, tomar decisões e correr atrás do que você acredita.

E você? Quer ser vítima ou protagonista? Reflita e tome a decisão certa, nunca é tarde para mudar!

Gostou do artigo? Adoraríamos saber a sua opinião. Deixe um comentário abaixo.

Às vezes, a Empresa não Ajuda
5 (100%) 2 votes